Sobre relacionamentos e respeito mutuo

A imposição de limites sexuais passa por questões muito pessoais e íntimas. Cada uma de nós passou por momentos diferenciados em nossas vidas, experiências únicas, e as carregamos – querendo ou não – para nossos outros relacionamentos. Algumas de nós conseguem enxergar a linha de até onde podemos avançar, quais atitudes podemos tomar com o companheiro, balancear o novo relacionamento com as experiências adquiridas. Aprender e atuar diferenciadamente, abrir mão de algumas coisas em nome de outras, para mantermos um relacionamento saudável e não cometermos os erros anteriores.

No começo de qualquer relação, embora seja tudo lindo, a paixão, o tesão, a vontade de conversar, de conhecer, de passar por momentos legais e ter histórias para contar; também passamos por momentos perigosos, onde pisamos em terreno incerto: não o conhecemos a fundo – e talvez por isso ele nos interesse tanto -; não conhecemos seu passado sexual em videos porno – e provavelmente nunca saberemos a verdade-; Ele é sincero? Ele não é apenas um bom ator? Afinal de contas, como devo agir para que a relação não seja apenas física, ou somente uma amizade?

São muitas as questões que nos rondam nesse momento. Já falei nessa seção, em outro texto sobre ir ou não para a cama no primeiro encontro, lembram? Percebi pelas respostas que tiveram garotas a favor, e outras não. As que não admitem este ato logo na primeira noite, impõem um limite aos seus desejos, e ao desejo do outro, percebendo assim, que estão se dando respeito. Fazem-se respeitar, impondo uma condição para o outro. É bem verdade que muitos homens funcionam assim. Precisam deste limite para respeitar a mulher com que saíram. E não pense que é raro, porque não é. Também não está relacionado à idade, porque isso é ditado por diversos fatores desde sua criação e educação. Se você se sentir mais segura e respeitada assim, excelente! Ele também te respeitará.

Mas e a outra parcela de homens? Aquela que acredita que isso não vai influenciar na relação de vocês. Eles também existem. E, se você cede às tentações, talvez a decisão de ir para a cama com ele no primeiro encontro, gere agora outra dúvida: O que pode, e o que não pode? Até onde ir? E se rolar de dormirmos juntos? Como será o dia seguinte?

O que estou querendo dizer aqui é que o melhor é você procurar um companheiro, que pense o mais próximo de você sobre este assunto, para não correrem riscos de se frustrar sexualmente. Conheço casos de mulheres que não aceitaram o convite da “esticadinha”, foram para a casa, dormiram feliz; esperaram a ligação e o telefone nunca tocou. Da mesma maneira, sei de relacionamentos que se a mulher tivesse aceitado o convite, eles não estariam namorando.

Amor, sexo, xvideo e respeito não podem andar separados. Uma noite de amor maravilhosa com um homem que você acabou de conhecer, pode se transformar na sua realidade; e a manhã que você acordou ao lado dele, pode se repetir para o resto da vida. E então? Quem explica os sentimentos do coração?